segunda-feira, 11 de março de 2013

Hélio Crisanto - NOS MOCAMBOS DO SERTÃO

tapera abandonada 

Visitando os mocambos do sertão
Vi um sítio com traços de abandono,
Uma casa ruída, outra sem dono
Desertada por causa do verão.
Vi ferrugem nas trempes de um fogão
Avisando que a fome é coisa séria,
Lagartixas zombando da matéria
Numa concha de quenga pendurada;
Vi a boca da fome escancarada
Jejuando na casa de miséria.